Brasil, sábado, 10 de dezembro de 2016
Fundação Maurício Grabois
Classe Operária
  • Classe Operária
NÚMEROS ANTERIORES
Notícias

Votar em Dilma para o Brasil avançar e barrar o retrocesso

Em reunião nesta sexta-feira (10), na sede do Comitê Central, em São Paulo-SP, a Comissão Política Nacional do Partido Comunista do Brasil (PCdoB) aprovou a resolução política que se segue abaixo:
 

PCdoB com Dilma (Convenção Eleitoral Nacional, 27 de junho de 2014)

 Votar em Dilma para o Brasil avançar e barrar o retrocesso

Dentro exatamente de 16 dias se realizará o segundo turno das eleições presidenciais. Mais do que nunca, o que está em jogo é o destino do país. É hora de tomada de posição, de mobilização intensa, entusiástica, de amplas camadas do povo e dos trabalhadores, de todas as forças democráticas, populares, patrióticas em especial da militância de esquerda e dos movimentos sociais, pois o futuro do Brasil dependerá do resultado do confronto entre duas alternativas totalmente opostas: o avanço contra o retrocesso. Tenhamos consciência, estamos a viver dias que irão valer por anos ou décadas!

A candidatura da presidenta Dilma Rousseff, respaldada pelo povo, pelos trabalhadores, pelos pobres, lidera o campo político democrático, popular, patriótico e de esquerda, e representa o projeto da mudança, do avanço, com um novo ciclo de transformações para o país e mais conquistas para o povo. Do lado oposto está o candidato da direita, dos ricos, das chamadas “classes altas”, Aécio Neves, embandeirado com o receituário neoliberal que no passado levou o Brasil ao fracasso e no presente afundou o mundo numa grande crise. O tucano é apoiado pelo consórcio oposicionista constituído pela oligarquia financeira, a grande mídia e os partidos conservadores.

Dilma Rousseff, ao liderar o primeiro turno, construiu o caminho que poderá levá-la à vitória em 26 de outubro próximo. Mas, não nos iludamos, a vitória, da qual estamos convictos, virá no curso de um dos mais acirrados combates da história política do país.

As forças alinhadas em torno da candidatura de Aécio Neves e a grande mídia fabricam escândalos, manipulando criminosamente processos que correm sob segredo de justiça e dando status de verdade a denúncias seletivas e “premiadas” de corruptos confessos. Ao mesmo tempo, escondem o fato de que a prisão de tais ladrões resulta do ferrenho combate que a presidenta Dilma realiza contra a corrupção. Ademais movem uma campanha de descrédito do país em todos os aspectos, inclusive com a interferência execrável do imperialismo, por meios não declarados e escancarados, como é o caso das previsões deturpadas do Fundo Monetário Internacional (FMI) sobre o desempenho da economia brasileira.

Nos últimos dias, no afã de passar a imagem de que a candidatura de Aécio surfa numa torrente reacionária capaz de levar de roldão a todos, passaram a alardear o que seriam reforços “novos” a Aécio Neves. Nada mais falso. Marina Silva, o apoio mais aguardado, revezou com o tucano no primeiro turno a condição de “predileta” dos banqueiros e já havia feito duro combate à candidatura de Dilma. Mesmo assim, setores importantes da Rede Sustentabilidade, legenda criada por Marina, se rebelaram contra o enquadramento de apoio a Aécio. E a adesão do PSB ao candidato da direita, capitulando ao neoliberalismo e ao conservadorismo que antes condenava, se dá com resistências e dissidências.

PCdoB: empenho redobrado pela vitória de Dilma

O PCdoB revigorado pelos votos e apoio do povo que recebeu, pelos parlamentares federais e estaduais que elegeu, se empenhará mais ainda pela vitória da presidenta Dilma Rousseff.

Ressaltamos como um grande feito do povo e do PCdoB do Maranhão a eleição de Flávio Dino para governador. Pela primeira vez na história do país, a legenda comunista, em aliança com amplas forças políticas locais, elegeu um governador de estado. Esta conquista se eleva, pelo fato de a vitória de Flávio Dino significar a derrota do mais antigo ciclo político oligárquico reinante no país. Flávio Dino, apoiado no povo e nas forças políticas e sociais que o elegeram, tem condições de tornar realidade as esperanças de democracia e de progresso social e econômico que há décadas os maranhenses aspiram.

Já no primeiro turno, mesmo com a heterogeneidade da coligação que foi constituída, o PCdoB do Maranhão fez entusiástica campanha para Dilma Rousseff. Agora, neste segundo turno, apoiado no ambiente favorável da vitória, nosso Partido se movimentará para alargar a base de apoio à nossa candidata e, com os aliados, empreenderá esforços buscando uma frente ainda maior de votos para Dilma.

Considerando necessário proceder no momento oportuno, posterior ao segundo turno, ao balanço do desempenho da nossa legenda nas urnas, assinalamos desde já que as forças conservadoras realizaram pesado ataque aos partidos da base de sustentação do governo e da campanha da presidenta Dilma. Esse ataque se concentrou, em especial, contra as legendas de esquerda e, em consequência, PT, PDT, e também o PCdoB – comparativamente a 2010 –, tiveram suas bancadas na Câmara Federal diminuídas.

Dilma Rousseff, a caminho da vitória!

Estamos convictos de que essa inaudita investida das forças conservadoras será barrada pela mobilização do povo e pela frente ampla que se alarga. Os comunistas estarão na linha de frente dessa jornada, com um engajamento ainda mais vigoroso.

Com a firmeza e as qualidades já demonstradas pela nossa candidata Dilma, com o incisivo debate programático de nossa campanha, com corajosa luta de ideias que desmascare o candidato tucano, com o engajamento entusiástico de todos aqueles que sejam partidários do Brasil e de seu progresso democrático, econômico e social, da afirmação de sua soberania, temos todas as condições de assegurar um outro mandato para Dilma, a quarta vitória do povo, sob o compromisso de um “governo novo e novas ideias” que proporcionem para o Brasil um novo ciclo de reformas e transformações.

São Paulo, 10 de outubro de 2014

A Comissão Política Nacional do Partido Comunista do Brasil -PCdoB

Leia também:
Intervenção do presidente nacional do PCdoB, Renato Rabelo





Matérias relacionadas

Twitter