Brasil, sexta-feira, 09 de dezembro de 2016
Fundação Maurício Grabois
Classe Operária
  • Classe Operária
NÚMEROS ANTERIORES
Notícias

PCdoB finaliza série de oficinas do Plano Estratégico bianual

Para completar a série de oficinas do Plano Estratégico do Partido Comunista do Brasil (PCdoB) para o biênio 2016/2017, a secretaria de Planejamento realizou nesta terça-feira (31), o terceiro e último encontro.  As primeiras oficinas ocorreram nos dias 16 e 17 deste mês, com encontros de representantes do Fórum de movimentos sociais e da Frente de luta política de ideias, respectivamente. Os encontros ocorreram na sede nacional do PCdoB, na capital paulista.

Luciana Santos

Luciana Santos na abertura da oficina de planejamento do PCdoB.

O oficina desta terça (31), com a Frente de Luta política e estruturação partidária, contou com a participação de 35 pessoas, dentre elas, a presidenta nacional do PCdoB, deputada Luciana Santos, o vice-presidente do Partido, Walter Sorrentino, o secretário nacional de Planejamento, Fábio Tokarski, demais secretários nacionais, além de dirigentes de Organização de 10 estados.

A presidenta Luciana Santos abriu o evento atualizando as informações sobre o cenário político nacional, denunciando o conteúdo “ultraconservador” e a agenda neoliberal do ilegítimo governo Temer que assumiu à Presidência da República há pouco mais de duas semanas, logo após a admissibilidade do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff passar pelo Senado. Para reverter esse processo, Luciana ressaltou que é preciso barrar o golpe em curso e explicou como é possível. "Para dar o golpe, eles precisam de dois terços dos votos e eles tiverem dois votos a mais na votação pela admissibilidade, nós podemos reverter isso”, destacou.

Para garantir a vitória no Senado é preciso ainda que se amplie a consciência democrática da populaçao, é preciso que a luta extrapole os movimentos sociais e a militância partidária, explicou a dirigente comunista. “Para que ela se alargue mais”, disse, é preciso que os trabalhadores e amplos setores populares assimilem a necessidade de resistência ao golpe. Para que isso ocorra, o diálogo que agrega mais é a luta pela democracia, frisou Luciana.

Plebiscito

Sobre a proposta do PCdoB de antecipar as eleições, Luciana Santos esclareceu que a bandeira do Plebiscito deve ser um instrumento que pode reverter a agenda conservadora imposta nos últimos tempos. “Se você barra o golpe e deixa que a população responda sobre seus anseios, você amplia a luta política, incorpora mais gente e garante a soberania popular”, afirmou a presidenta.

Depois de sua fala, os dirigentes se dividiram em grupos para avaliarem os objetivos e ações propostos no Plano Estratégico. Depois, os comunistas apreciaram o conjunto de propostas apresentadas.

De acordo com o secretário de Planejamento, Fábio Tokarski, o resultado destas oficinas será apreciado pelos membros do Comitê Central na próxima reunião ordinária que ocorrerá em julho.


Leia também:
PCdoB realiza reuniões com suas frentes para compor Plano 2016/2017

De São Paulo, Eliz Brandão




Twitter